CEO do Strikeforce descarta disputa do título dos pesados no Grand Prix

 

 

Apesar da demissão de Alistair Overeem, cinturão não está em jogo no evento. Categoria meio-pesado também segue indefinida sem Henderson

 

Alistair Overeem, MMA (Foto: Strikeforce/Site Oficial)
Após demissão no Strikeforce, Overeem está perto
de contrato com UFC (Foto: Strikeforce)

O CEO do Strikeforce, Scott Coker, garantiu nesta terça-feira que o cinturão dos pesos pesados não está em disputa no Grand Prix do evento, que terá suas semifinais no próximo dia 10 de setembro, com o brasileiro Antônio “Pezão” Silva numa das chaves. O dirigente afirmou também que o título dos meio-pesados não estará em jogo por enquanto, mesmo com seu atual detentor, Dan Henderson, próximo de assinar com o UFC e deixar a companhia de MMA.

O Grand Prix dos pesos pesados do Strikeforce vem sendo disputado por todo o ano e o atual campeão da categoria, Alistair Overeem, enfrentaria Pezão por uma vaga na decisão. Todavia, o adiantamento da data das semifinais de outubro para setembro causou a desistência de Overeem, que citou lesões no dedão do pé, na costela e no cotovelo como motivos. Mais tarde, o holandês foi demitido pela Zuffa, LLC, companhia que detém os direitos do Strikeforce e UFC, por diferenças nas negociações com sua equipe, Golden Glory.

Após uma mudança de posição da equipe, Overeem está negociando para assinar com o UFC, mas Coker garantiu que seu cinturão ainda não está em jogo.

– Isso ainda não foi determinado, e neste momento, esta é a posição da companhia: o vencedor do torneio não será coroado campeão – disse Coker em teleconferência com a imprensa para promover o evento “Strikeforce Grand Prix: Barnett vs Kharitonov”, que acontece em 10 de setembro em Cincinnati e destaca a semifinal do GP entre Josh Barnett e Sergei Kharitonov.

No lugar de Overeem, Pezão enfrentará o americano Daniel Cormier na outra semifinal.

Além dos pesos pesados, a divisão meio-pesado também está sem campeão após o final do contrato de Dan Henderson. O americano é outro que está próximo de voltar ao UFC, mas Coker ainda não descarta a possibilidade de seu retorno ao Strikeforce. O CEO disse que pretende ver os dois confrontos pela categoria no evento de Cincinnati – Roger Gracie contra o Muhammed “King Mo” Lawal e Rafael “Feijão” Cavalcante contra Yoel Romero – antes de definir o destino do cinturão.

– Temos alguns confrontos muito bons nos 93kg. Quando for a hora certa, vamos informar todo mundo (sobre o que faremos) – despistou Coker.

Obrigado pela sua opinião !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.