Jessica Bate-Estaca em busca de uma chance pelo titulo no UFC 203

Após vitória na estreia entre os palhas (até 52kg), Jéssica “Bate-Estaca” Andrade retorna ao Ultimate para novo desafio. A atleta da PRVT terá pela frente a escocesa Joanne Calderwood no UFC 203, que acontece no dia 10 de setembro, em Cleveland (EUA).

Jessica

Para o próximo desafio, Jéssica Bate-Estaca fala sobre a preparação para enfrentar Joanne Calderwood:”A preparação está muito boa, fiz um pouco da minha preparação em Caxias, um pouco em Macaé, vou finalizar a minha preparação em Niterói. A preparação tem sido muito boa, pois a galera tem me apoiado muito, o treino tem sido muito pesado, graças a Deus tenho vindo com um apoio muito forte de nutricionistas, de médicos ortomoleculares, os treinamentos estão muito bons, com suplementação, então tenho certeza que vou para a luta muito mais preparada do que na luta anterior”, disse.

O duelo contra Joanne Calderwood será o segundo de Jéssica Bate-Estaca entre os palhas, antes a brasileira lutava no peso galo (até 61kg), onde se alternou entre vitórias e derrotas. A atleta da PRVT estreou na nova categoria com vitória sobre Jessica Penne por nocaute técnico, no UFC 199. Após a primeira luta, Jéssica falou como foi a adaptação na nova divisão.

 

Foi muito tranquilo, achei por eu estar baixando muito de peso, mais de 10 kg, ia ser muito complicado, mas graças a Deus teve um bom intervalo para essa luta e consegui me adaptar bem, adaptar meu corpo e agora eu consigo sempre manter sempre 60, 61kg. Quando vou para luta fica muito tranquilo para eu baixar, não precisei fazer banheira, nem sauna. Então foi muito tranquilo e graças a Deus consegui dar o show na última luta contra a Jessica Penne e se Deus quiser vou para mais um show”, disse Jéssica Bate-Estaca que também enalteceu o trabalho da PRVT Girls, que é exclusivamente voltado para o MMA feminino.

Jessica Bate Estaca e uma das estrelas femininas do Brasil no UFC

Jessica Bate Estaca e uma das estrelas femininas do Brasil no UFC

Está fazendo muita diferença, pois treinar com meninas, estar convivendo com elas é uma coisa muito boa. As vezes estamos treinando com homens e queremos colocar uma mão mais forte, temos pensar que se colocar a mão forte a dele virá mais forte ainda e aí pode acontecer de machucar. Com as meninas não, posso medir a força e sei que a força que vai é praticamente a mesma que vem, não tem muita diferença é um treino bom, que a gente consegue evoluir. Treinar com as meninas tem sido muito bom, a PRVT Girls está com um excelente cartel de meninas e só tem feras”, disse.

 

Sobre o duelo contra Joanne Calderwood, Jéssica Bate-Estaca falou o que o público pode esperar e quer decidir a luta ainda no primeiro round.

 

A galera pode esperar a trocação, por mais que ela seja do muay thai, eu gosto muito do boxe, do muay thai também, de trocar, minha mão está muito rápida, muito forte, então vou para a trocação, mas se não der certo levo a luta para o chão, mas a expectativa é nocaute e fazer uma ótima luta para vencer no primeiro round”, disse a atleta da PRVT que acredita na velocidade e na força como armas para superar a escocesa.

 

Vou tentar usar muito a velocidade e a força, acho que ela tem um jogo muito parecido com o da Jessica Penne, apesar dela ser mais técnica do que a Jessica, mas ela toma uma porrada fecha a cara e dá uma andada para trás, então ali eu posso achar o momento certo para ir para a trocação franca sem parar e ir para cima até ela cair ou o juiz mandar parar, se tiver trocando e ela não cair, coloco para o chão e termina no chão, depois disso rumo ao cinturão (risos)”, brincou.

jessica

Com a vitória sobre Jessica Penne na estreia dos palhas, Jéssica Bate-Estaca entrou no ranking da divisão em sexto lugar. Para a atleta da PRVT, a entrada foi muito boa já que pensa em lutar pelo cinturão da categoria.

 

Isso foi muito bom, já que fazia um tempo que não estava entre as ranqueadas. Eu comecei ranqueada no 61 (peso galo), mas sai do ranking e agora na minha primeira luta venci e fui para sexto, para mim foi muito bom e agora vou lutar contra a sétima, espero fazer uma grande luta e quem sabe vencendo me aproximo da disputa de cinturão? Estamos esperando”, disse.

 

Jéssica Bate-Estaca sonha em repetir o feito de Amanda Nunes, que se sagrou a primeira lutadora brasileira a se tornar campeã feminina no Ultimate. A baiana conquistou o cinturão dos galos ao vencer Miesha Tate no UFC 200. Para a atleta da PRVT, a conquista de Amanda é muito boa para o MMA feminino do Brasil.

 

Graças a Deus a Amanda chegou lá e conseguiu mostrar o jogo dela, foi merecido, foi um lutão, tenho muito orgulho da Amanda. Eu e ela fomos as primeiras brasileiras a entrarem no UFC, ela foi a primeira contratada e eu a primeira a pisar no octógono, então nós duas temos direito de fazer essa história. Com certeza com essa conquista dela vai trazer mais meninas, vai incentivar a gente que está lá para conquistarmos nosso espaço e nosso cinturão”, disse.

Anúncios

Obrigado pela sua opinião !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s