Michael Bisping vence Anderson Silva e mantém invencibilidade no Reino Unido

Britânico é o dono do maior número de vitórias no peso-médio

during the Middleweight Bout of the UFC Fight Night  at The O2 Arena on February 27, 2016 in London, England.

Foto: UFC Divulgação.

 

 

Michael Bisping sempre disse que sabia como bater Anderson Silva, e provou isso neste sábado (27). Enfrentando o ex-campeão dos pesos-médios na luta principal do UFC Londres, ‘The Count’ mostrou resiliência e volume de golpes, e foi declarado o vencedor por decisão unânime após cinco rounds de batalha contra o atleta que é considerado o melhor de todos os tempos.

➡ CONHEÇA SPORT BLOCK OS MELHORES PROTETORES BUCAIS

O Spider que subiu ao octógono esta noite foi o Spider brincalhão, que fica de guarda baixa, provoca os oponentes e não se importa em levar alguns golpes. A estratégia, que funcionou bem durante tantos anos, mostrou ter suas brechas. Tanto que no segundo assalto, Bisping lançou uma combinação de socos e conseguiu um knockdown.

Um momento inusitado marcou o duelo no terceiro assalto. Em uma troca de golpes, Bisping acabou perdendo o protetor bucal. Distraído, ‘The Count’ pedia que o árbitro interrompesse o combate quando Anderson acertou uma joelhada voadora que o derrubou imediatamente. O golpe foi conectado assim que o sinal de fim de round tocou, e o brasileiro pensou ter vencido o combate. Demorou algum tempo até que conseguissem avisar o atleta, que já comemorava a vitória, que ele ainda teria que lutar mais.

➡ ARM LOCK MARICÁ A MELHOR FIGHT WEAR !

Passado o mal entendido, o duelo seguiu e Anderson mostrou momentos de genialidade, como quarto assalto, quando acertou um chute frontal no rosto de Bisping mesmo quando estava prensado contra a grade, e seguiu com joelhadas. Ao fim do duelo, o britânico ostentava vários cortes no rosto, mas isso não o impediu de comemorar muito o triunfo.

Esta foi a 14ª vitória de Bisping no peso-médio, fazendo-o o recordista de triunfos na categoria e mantendo sua invencibilidade no Reino Unido. Emocionado, ‘The Count’ deixou o trash-talking de lado e demonstrou todo o seu respeito por Anderson.

“Eu idolatro esse cara. Ele é o melhor de todos os tempos. É por isso que estou tão emocionado agora. O respeito que tenho por você não se mede. Desde muito novo, queria ser como ele. Anderson, muito obrigado”, disse Bisping.

Já Anderson não ficou nada satisfeito com a contagem de pontos.

“Obrigado por virem assistir. Estou muito feliz porque estou de volta a Londres. Obrigado por tudo. Brasil, a parada é seguinte. Não tem como vencer de um jeito, eles tentam tirar do outro. Não tenho nada para falar. Obrigado pelo apoio. Estou bem, estou voltando para casa. Missão dada é missão cumprida, mas de vez em quando é que nem no Brasil: corrupção total”, sentenciou.

Mousasi supera Thales nos pontos

Thales não escondeu a estratégia, tentando levar a luta para o chão desde o início. Mas, infelizmente para o brasileiro, o plano não funcionou, e Mousasi passou a maior parte dos três rounds fazendo o que sabe de melhor: trocar golpes.

O iraniano machucou bastante o rosto do adversário, e até levou a melhor nos momentos em que o duelo ia para o solo. Vitória para Mousasi por decisão unânime.

Destaques no card preliminar

Os grandes duelos do UFC Londres não se limitaram ao card principal. Na primeira parte do evento, dois combates se destacaram: a finalização relâmpago de Teemu Packalen, e o nocaute brutal de Scott Askham.

Dono de um dos mais vistosos bigodes da organização, Packalen precisou de apenas 24 segundos para encaixar um mata-leão que forçou Thibault Gouti a desistir, perdendo sua invencibilidade.

Já Askham não estava em seus melhores momentos na luta contra Chris Dempsey, até que acertou uma esquerda que balançou o rival. Percebendo o bom golpe, Askham lançou um chute na cabeça do oponente, que caiu nocauteado.

Confira os resultados completos do UFC Londres:

CARD PRINCIPAL

Michael Bisping venceu Anderson Silva por decisão unânime;
Gegard Mousasi venceu Thales Leites por decisão unânime;
Tom Breese venceu Keita Nakamura por decisão unânime;
Brad Pickett venceu Francisco Rivera por decisão dividida.

CARD PRELIMINAR

Makwan Amirkhani venceu Mike Wilkinson por decisão unânime;
Davey Grant venceu Marlon Vera por decisão unânime;
Scott Askham venceu Chris Dempsey por nocaute no primeiro round;
Arnold Allen venceu Yaotzin Meza por decisão unânime;
Rustam Khabilov venceu Norman Parke por decisão unânime;
Daniel Omielanczuk venceu Jarjis Danho por decisão técnica;
Teemu Packalen venceu Thibault Gouti por finalização no primeiro round;
David Teymur venceu Martin Svensson por nocaute técnico no primeiro round.

 

Anúncios

Obrigado pela sua opinião !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s