Com um show de lutas, o NCE 8 consagra Karol Mão de Pedra

Com mais de 100 lutas, o NCE promove um mega evento em prol do Outubro Rosa.

Foto: Ruiva Fight

Foto: Ruiva Fight

A oitava edição do New Corpore Extreme foi um verdadeiro sucesso. Não só por conta de um público ensurdecedor que lotou o CT New Corpore Fight durante todo o dia, mas também pelo alto nível visto no octógono. Com mais de 14 horas de duração, o NCE 8 levou ao octógono 105 lutas entre duelos de Submission, Muay Thai e MMA culminando em uma grande batalha.

Sempre engajados, os organizadores do NCE utilizaram esta edição para promover a campanha Outubro Rosa, que visa a conscientização sobre o câncer que mais mata mulheres ao redor do mundo, o câncer de mama. Com isso, promoveu inúmeras lutas femininas e escalou duas das maiores revelações do MMA feminino para comandar os comentários da sua transmissão, Nayara Hemily e Tathy Bergamashi.

O card profissional começou de uma maneira bem diferente, o atleta Nattan Apocalipse, foi ao octógono cantando sua própria música, um rap sobre a sua história de superação. Nattan foi assaltante e se envolveu com o tráfico, mas a religião e o esporte mudaram sua história e no NCE 8 estreou como um atleta profissional. Sua mão não foi levantada ao fim da luta, mas como cantou em sua música, sua mão já foi erguida na vida.

Foto: Ruiva Fight

Foto: Ruiva Fight

 O esporte tem esse papel, mudar e integrar. Conhecer a história do Nattan nos motiva a continuar a produzir o NCE. Como venho falado, nosso objetivo é auxiliar na mudança e crescimento de muitos outros Nattans e Mucundas. Enquanto histórias como estas existirem, o NCE continuará acontecendo. Declarou o faixa preta, organizador do NCE, Renato Dominguez.

O octógono do NCE reservou muitas emoções para os amantes do MMA. Finalizações relâmpagos, nocautes no primeiro round, mas a emoção da luta de inclusão entre os atletas Lucas Perizinho e Alexandre Mucunda superou todas as expectativas.

Mucunda é o primeiro faixa preta de Jiu-jitsu com Síndrome de Down do Brasil, mas sua fama tem sido ainda maior no MMA. Em sua última luta, Mucunda não perdoou, enfrentou o consagrado atleta Joilton Peregrino e se sagrou vencedor com uma chave de braço. Nesta edição, Alexandre demonstrou a evolução no seu jogo de trocação com belas combinações e chutes baixos, mas garantiu a sua nova vitória com a especialidade da casa, levando o braço do seu desafiante Lucas Perizinho para casa.

Foto: Ruiva Fight

Foto: Ruiva Fight

Fiquei extremamente feliz em ser convidado para fazer esta luta de inclusão, como eu estou com uma luta marcada no Fight2Night, não pude entrar neste card profissionalmente, mas a festa foi a mesma. O Mucunda é um cara excepcional, não existe limites para ele. Mesmo sendo apenas uma luta de exibição, sabia que ele viria com tudo, posso garantir que a mão é pesada de verdade. Brincou o atleta Lucas Perizinho.

Para fechar com chave de ouro, o NCE levou ao octógono duas grandes guerreiras que protagonizaram a melhor luta da noite. Logo no primeiro round, Karolline Mão de Pedra explicou seu apelido a Nayara Rodrigues aplicando dois duríssimos Knockdowns, que de maneira impressionante absorveu o impacto e voltou para a luta ainda mais arisca acertando muitas combinações além de duríssimos chutes altos. Os dois rounds seguintes as atletas mantiveram o nível elevado deixando a difícil tarefa de definir a vencedora para os árbitros. E por decisão unânime, a atleta Karoline Martins foi consagrada vencedora.

Confira os resultados oficiais:

Até 66 kg – Eucir Vieira (Caçadores) venceu Nattan “Apocalipse”  (Astra Fight Team) por finalização (chave de tornozelo) aos 2:23 do 1o round.

Até 66 kg – Italo Gomes (Malafaia Team/Team Striker) venceu Ricardo Bombinha  (Art Combat) por finalização (chave de braço) aos 4:45 do 1o round

Até 61 kg – Fabrício Mello (MG Team/ Bocao MMA Team) venceu Jadson Baiano (Demolish Fight Team) por nocaute técnico aos 4:43 1o round

Até 66 kg – Fellipe Praguinha (Guerreiro do Futuro) venceu Peterson Barbosa (Demolish Fight Team) por finalização (mata leão) aos 0:36 do 1o round

Até 66 kg – Renan Leal (Art Combat) venceu Reinaldo mudo (RTM Team) Por finalização aos 2:43 do 2o round

Até 61 kg – Wallace Nogueira (Team Dourado) venceu João Francês (Art Combat) por decisão dividida

Até 77kg – Edimilson ¨Cai Cai¨ (Peso Pesado Gold Team) venceu Abias Silva (Equipe Pitbull) por nocaute técnico aos 4:54 do 1o round

Até 57 kg – Wesley Targino (Team New Corpore) venceu Luan de Souza (Astra Fight Team) por nocaute aos 2:48 do 2o round

Até 66kg – Nelson Cowboy (Guilhotina Fight) venceu Igor Queixada (Team Nogueira) por decisão unânime.

Até 70 kg – Maycon Mendonça (Art Combat) venceu Nivanilson Chapolin (Peso Pesado Gold Team) por nocaute aos 0:26 do 3o round

Até 84 kg – Alberto Maia (Team New Corpore) venceu Gabriel Carvalho (Champion Team) por finalização aos 0:42 do 1o round

Até 58 kg – Karoline “Mão de Pedra” (Team New Corpore) venceu Nayara rodrigues (Equipe Rogério Siqueira) por decisão unânime

Anúncios

Obrigado pela sua opinião !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s