Após nova vitória, Pantoja mira Top 5 para seguir subindo no ranking dos moscas

Brasileiro segue invicto no Ultimate com duas vitórias

Foto: GettyImages

O brasileiro Alexandre Pantoja segue correspondendo às expectativas depositadas nele desde sua chegada ao Ultimate.

No UFC Glasgow, ele finalizou o veterano irlandês Neil Seery, conquistando seu segundo triunfo no octógono e ampliando para 11 o número de vitórias consecutivas na carreira. Isso mesmo após um camp de treinamentos conturbado.

Tive uma lesão no braço, rompi um ligamento oito semanas antes da luta e tive que ficar quase um mês parado fazendo tratamento”, contou Pantoja em entrevista ao UFC Brasil, “Isso foi o que mais me deixou apreensivo antes da luta, mas consegui me recuperar bem. Quando estava com o braço machucado, treinei muito os chutes e isso me abriu muitos caminhos na luta”.

Mas o receio pela lesão não fez com que o carioca de 27 anos abrisse mão da trocação e, ciente de como deveria agir em cada round, Pantoja conta que fez exatamente o que havia planejado para o combate.

Acho que casaram essa luta muito bem, porque gosto muito da luta franca e o Neil Seery também. Foi um presente para ele, para mim e, mais ainda, para os fãs”, disse, “Esperava exatamente o que aconteceu, uma luta bem franca. O que me surpreendeu foi que ele jogou muito na base de destro, e esperava que jogasse de canhoto. Ganhei os dois primeiros rounds e sabia que, no terceiro, ele viria para o tudo ou nada. Mas percebi que ele já estava bem cansado e, se eu quisesse levá-lo para o chão, ele não ia conseguir se defender. Se eu tivesse tentado levar para o chão no primeiro round, talvez ele se defenderia, eu cansaria mais que ele e daria uma chance para ele me vencer. No terceiro, foi bem tranquilo levar ele para o chão, ele não mostrou muita reação, então fui evoluindo até montar, pegar as costas e encaixar o mata-leão”.

Após chegar até a semifinal do TUF 24, em campanha na qual derrotou inclusive o atual sétimo colocado no ranking dos moscas, Brandon Moreno, Pantoja acredita que se firmou entre os melhores nomes da divisão, e espera que um desafio ainda maior esteja em seu futuro, apesar de não querer escolher um próximo adversário.

Foto: by Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)

 

Não tem nenhum nome específico, mas acho que o pessoal do Top 5, Top 10, pode dar um bom espetáculo”, disse, “É o que eu espero. Acho que tem bons nomes com quem posso fazer um bom show para todo mundo”.

 

E enquanto aguarda o nome de seu próximo oponente, o brasileiro estará de olho na próxima disputa pelo título de sua divisão, entre o campeão absoluto Demetrious Johnson – que busca quebrar o recorde de defesas consecutivas do Ultimate – e o desafiante Ray Borg. O duelo acontecerá no dia 9 de setembro, no UFC 215.

MMA é imprevisível, tudo acontece, mas acredito que o Demetrious Johnson pode vencer com certa folga”, analisou o brasileiro, “O Ray Borg é um atleta muito forte, inteligente e bem rápido. Com certeza não vai ser uma luta fácil para o Demetrious”.

Anúncios

Obrigado pela sua opinião !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s